Submarino.com.br
Marco Weissheimer Rotating Header Image

Comandante da Brigada ameaça movimentos sociais na véspera da Marcha dos Sem

Kayser
O comandante da Brigada Militar, coronel Paulo Roberto Mendes, divulgou nota oficial nesta quinta-feira (4), advertindo os movimentos sociais que organizam o 14° Grito dos Excluídos e a 13ª Marcha dos Sem, que os “efetivos do policiamento ostensivo estão devidamente instruídos e dotados dos recursos necessários para atuarem como força mediadora, capaz de harmonizar, no limite da lei, os interesses porventura conflitantes, não permitindo que direitos e garantias de uns se sobreponham aos de outros”. Traduzindo: a Brigada Militar reprimirá os manifestantes caso o coronel Mendes julgue que “direitos e garantias de uns estão se sobrepondo aos de outros”.

Expressando uma “inquebrantável tradição de respeito ao Estado Democrático de Direito”, o comandante da Brigada afirma seu “compromisso de garantir a lei e a ordem no Rio Grande do Sul, desejando que todos os eventos previstos transcorram dentro da normalidade”. O compromisso do coronel Mendes com o Estado Democrático de Direito parece ser seletivo, considerando suas recentes manifestações em defesa da execução de criminosos ao arrepio da lei.

Os organizadores do Grito dos Excluídos e da Marcha dos Sem, programada para esta sexta-feira, criticaram a nota, classificando-a como uma tentativa de intimidação. Para o presidente da CUT/RS, Celso Woyciechowski, a nota “é muito ruim para o processo democrático porque vem em um tom ameaçador”. “Primeiro vem a ameaça e depois a proposta de diálogo”, criticou.

A concentração para a manifestação começa às 13h desta sexta, na praça Pinheiro Machado, esquina com a avenida Farrapos. Os manifestantes seguirão até a Secretaria de Segurança Pública, onde será realizado um ato de protesto contra a criminalização dos movimentos sociais. Depois a marcha passará pela prefeitura da capital, Palácio da Justiça, Ministério Público Estadual e terminará com um ato em frente ao Palácio Piratini. Na agenda da Marcha dos Sem deste ano, destacam-se, entre outros pontos, a corrupção no Estado do Rio Grande do Sul, a violação de direitos e a criminalização dos movimentos sociais

8 Comentários on “Comandante da Brigada ameaça movimentos sociais na véspera da Marcha dos Sem”

  1. #1 Anonymous
    on Sep 5th, 2008 at 12:12 pm

    Caro Marco,
    Eu também tenho um compromisso ‘seletivo’ com o Estado Democrático e de Direito. Sou completamente a favor de decepar as mãos dos ladrões do dinheiro público e especialmente a língua de certas autoridades falastronas.
    Muito provavelmente seriamos governados por uma trupe de mudos e manetas.
    Abraço,
    José Luís

  2. #2 Anonymous
    on Sep 5th, 2008 at 12:12 pm

    Caro Marco,
    Eu também tenho um compromisso ‘seletivo’ com o Estado Democrático e de Direito. Sou completamente a favor de decepar as mãos dos ladrões do dinheiro público e especialmente a língua de certas autoridades falastronas.
    Muito provavelmente seriamos governados por uma trupe de mudos e manetas.
    Abraço,
    José Luís

  3. #3 Anonymous
    on Sep 5th, 2008 at 12:18 pm

    Só tem uma explicação que justifique, frente a todos os desmandos, a inércia dos movimentos sociais no RS: se “acadelaram”. A combatividade do gaúcho é contada como favas passadas. Tem explicação: fica mais difícil de desmentir.

  4. #4 Anonymous
    on Sep 5th, 2008 at 9:22 pm

    Supremo autoriza investigação de deputados

    O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal federal, acatou a sugestão do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e autorizou a investigação dos depuatdos federais José Otávio germano (PP) e Eliseu Padilha (PMDB). Marco Aurélio tamém decisiu pela cisão do inquérito. Isso significa que os demias citados na investigação podem ser processados no Rio Grande do Sul.

    A decisão do ministro sugere que também na Operação Rodin haverá cisão do processo e quem não tem foro privilegiado continuará respondendo à Justiça Federal em Santa Maria.

  5. #5 Anonymous
    on Sep 5th, 2008 at 9:22 pm

    Supremo autoriza investigação de deputados

    O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal federal, acatou a sugestão do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e autorizou a investigação dos depuatdos federais José Otávio germano (PP) e Eliseu Padilha (PMDB). Marco Aurélio tamém decisiu pela cisão do inquérito. Isso significa que os demias citados na investigação podem ser processados no Rio Grande do Sul.

    A decisão do ministro sugere que também na Operação Rodin haverá cisão do processo e quem não tem foro privilegiado continuará respondendo à Justiça Federal em Santa Maria.

  6. #6 Anonymous
    on Sep 6th, 2008 at 1:16 am

    Mas quem esse retardado-ditador pensa que é? Ele que vá perseguir a quadrilha que assaltou os cofres públicos do Rs.
    raquel

  7. #7 Remindo
    on Sep 6th, 2008 at 2:02 pm

    O livro de cabeceira do homem-mau-da-tropa deve ser o Mein Kampf. Hoje são os sem terra, amanhã os comunistas, depois os homosexuais, mais tarde o seu vizinho da esquina e depois VOCÊ.

  8. #8 Job
    on Sep 6th, 2008 at 4:41 pm

    Olha, aqui em Pelotas estudante já está a perigo… (vide ação da brigada e polícia federal semana passada). Não se pode mais expressar opinião sem ser escurraçado… tenho vergonha desse estado.

Deixe um comentário