Submarino.com.br
Marco Weissheimer Rotating Header Image

Vereadores do PDT dizem que Projovem foi alvo de quadrilha…de pedetistas

A vereadora Juliana Brizola e o vereador Mauro Zacher, do PDT, trocaram pesadas acusações na Câmara de Vereadores de Porto Alegre. O motivo da briga: as denúncias de irregularidades envolvendo o funcionamento do Projovem na prefeitura da capital. Juliana Brizola e Mauro Zacher ocuparam a Secretaria Municipal da Juventude no governo Fo-Fo (Fogaça-Fortunati) e suas gestões estão sendo investigadas. A neta de Brizola acusou o grupo político de Zacher de estar por trás das denúncias contra sua gestão. Ela afirmou:

O que eu quero dizer para vocês e que é muito importante aqui retratar é o que está por trás dessas denúncias. Denúncias que vêm mascarar o verdadeiro período em que esta Secretária, sim, foi alvo de uma quadrilha. Quadrilha essa que foi denunciada pela Polícia Federal – por formação de quadrilha e enriquecimento ilícito. Foram nove pessoas indiciadas. Não é uma denúncia, não é mais uma investigação; foram nove indiciados.

Talvez, para esse grupo isso não tenha muita importância, porque eles caminham por aí, pelos corredores, fazem política como se nada tivessem nas costas. Realmente para eles não deve ser nada, porque muitos desses nove, que estão indiciados pela Polícia Federal, têm um homicídio nas costas, já foram processados por um homicídio! O que esperar dessa gente? Vejam com quem eu estou me metendo!

(…) Quero dizer para vocês que não tenho medo da verdade. Abram as minhas contas, abram as minhas linhas telefônicas, investiguem a minha vida, conheçam a minha família, saibam de onde vim e o que aprendi. (…) Estou entrando aqui com um Requerimento de instauração de CPI na Secretaria Municipal da Juventude. Tenho certeza, Ver. João Antonio Dib, de que o senhor compreende a minha questão, como Líder do Governo que é. Tenho certeza de que o Prefeito Fortunati, para o bem do seu Governo e para limpar essa gente sórdida que permeia o PDT, também vai apoiar essa CPI.

Zacher respondeu as acusações dizendo que também assinaria o pedido de CPI e que há gravações sérias de corrupção envolvendo a gestão de Juliana Brizola:

Não fui eu que quis isso. As denúncias são graves, a imprensa está cobrindo, mas também está amordaçada, porque nós sabemos que houve influência de pessoas que não deixaram sair tudo o que deveria sair. Mas que bom, o nosso Partido tem que sair fortalecido disso. Agora, se V. Exa. está pedindo uma CPI, não ache que nós não estaremos dentro. Nós estaremos dentro, porque queremos também a verdade! O que há, sim, o que acompanhamos pela imprensa, é uma outra operação, chamada de Operação Açorianos, onde há gravações sérias de corrupção, onde há denúncias de propinas, onde há devolução de dinheiro de CCs! Mas o que é isso? (…) A quadrilha que a senhora coordena quase matou um assessor meu na campanha eleitoral.

Eu quero dizer a V. Exa. que vou também assinar essa CPI, porque quero escutar cada um cada um daqueles servidores; porque quero ir também a esse Promotor e saber quem foi que devolveu dinheiro – doa a quem doer, Ver. Thiago!

Em outubro de 2009, a Polícia Federal indiciou nove pessoas por envolvimento em irregularidades no contrato de execução do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem) em Porto Alegre. O inquérito da Polícia Federal resultou de informações e documentos apreendidos na Operação Rodin, que apurou fraudes no Detran. Segundo as investigações, o contrato do Projovem, que deveria ser executado pela Fundae (também envolvida na fraude no Detran), foi repassado a uma empresa privada, caracterizando fraude em licitação. O valor do contrato foi de cerca de 11 milhões de reais entre os anos de 2005 e 2007.

Segundo o MPF anunciou na época, do total desses R$$ 11 milhões que a prefeitura recebeu do governo federal, cerca de R$ 10 milhões teriam sido repassados a Fundae, contratada sem licitação para operá-lo. A Fundae, por sua vez, teria contratado a Pensant Consultoria, de modo similar ao que ocorreu no Detran. Na época, o responsável pela aplicação dos recursos do Projovem em Porto Alegre era Mauro Zacher, secretário da Juventude na prefeitura da capital. Após as denúncias de irregularidades na execução do programa, Zacher deixou a Secretaria da Juventude e reassumiu sua cadeira na Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

Ao todo, a Secretaria Municipal da Juventude está sendo alvo de quatro investigações por diferentes órgãos dos ministérios públicos Estadual e Federal, envolvendo as gestões de Mauro Zacher, Juliana Brizola e Alexandre Rambo, marido de Juliana e secretário até hoje (deve ser afastado). A denúncia mais recente – de desvio de recursos – partiu da ex-secretária-adjunta de Juliana, Adriane Rodrigues, que integra o Diretório Nacional do PDT. A troca de acusações em público deve resultar na instalação de uma CPI na Câmara Municipal para investigar as denúncias envolvendo o Projovem. Na tarde desta segunda-feira, 16 vereadores já tinham assinado o pedido para instalar a comissão (seis a mais do que o necessário).

Foto: Vereadora Juliana Brizola (PDT) entrega pedido de abertura de CPI ao vereador Bernardino Vendruscolo (Mariana Fontoura/CMPA)

11 Comentários on “Vereadores do PDT dizem que Projovem foi alvo de quadrilha…de pedetistas”

  1. #1 Lucio
    on Dec 6th, 2010 at 7:56 pm

    Marco, tens como divulgar o nome desses 9 acusados?
    Abs

    Lucio

  2. #2 Marco Aurélio Weissheimer
    on Dec 6th, 2010 at 8:27 pm

    A PF não divulgou os nomes, Lucio.

  3. #3 catia do canto
    on Dec 6th, 2010 at 9:32 pm

    O retorno de Mauro Zacher a Câmara de Vereadores, lá em 2007, teria a ver com a questão da imunidade parlamentar? Seu nome, além de estar envolvido nas denúncias de irregularidades no ProJovem, tb esteve ligado a suposta irregularidade na eleição para o Conselho Tutelar na mesma época. Assim, a fanfarronice de afirmar que assina a CPI é diretamente proporcional ao pouco caso que faz em ver seu nome envolvido em escândalos. Afinal, a má fama vem desde os bancos universitários na PUC. Um escandalozinho a mais, outro a menos, ainda com a segurança da imunidade, que problema tem para esse moço????

  4. #4 sindicalizado
    on Dec 7th, 2010 at 7:34 am

    Além deste caso rumoroso da Administração Municipal, tem mais outros esperando esclarecimento.
    Programas que envolvem recursos internacionais, a venda da folha de pagamentos para a Caixa Federal(que ficou mais de 1 semana com o site fora do ar), o custo superfaturado da pavimentação da Av. Beira Rio, o caso Sollus, a empresa Reação, os supersalários na Procempa e mais algumas coisinhas miúdas desta Administração Fo-Fo.
    Parece-me que cada partido constituiu uma espécie de feudo nas Secretárias e faz uso político deste poder.

  5. #5 zé bronquinha
    on Dec 7th, 2010 at 8:48 am

    Tem um moço aí na câmara que no tempo de dirigente do movimento estudantil teve seu nome relacionado com homicídio. Juliana Brizola o que temer!

  6. #6 Daniel
    on Dec 7th, 2010 at 11:17 am

    Esse tipo aí, Mauro Zacher, já traz suas artimanhas lá da PUCRS, e foi responsável por deixar muitos ovinhos dos quais se fizeram aprendizes de falcatruas e picaretagens. Essas cobras são criadas se matando mesmo entre elas e abrindo o caminho de qualquer jeito. O Brizola deve dar voltas no caixão a saber onde está o PDT! Espero que essas investigações levem a condenação desse anti-vereador. É melhor terminar logo com tais crias, ainda na Câmara, antes mesmo que elas fiquem maiores. Se as coisas não virem pizza e sua casa realmente cair, vou dar muita risada e ficar contente de saber do que nós, os cidadãos políticos, nos livramos.

    Prendam essa cambada!

  7. #7 Maria
    on Dec 7th, 2010 at 1:57 pm

    Secretaria onde sempre teve só CCs …
    Foi criada prá quê?
    Gerenciar verbas federais?

  8. #8 Heverton Lacerda
    on Dec 7th, 2010 at 3:35 pm

    O PDT está demonstrando que sentiu a divisão que aconteceu no período das eleições. Desafetos começam a aparecer para o público. Leonel Brizola deve estar se revirando…

  9. #9 Sobradinho
    on Dec 7th, 2010 at 5:29 pm

    O que o cidadão espera neste momento são atitudes fortes e não de corporativismo como ocorreu em várias situações, em que Agentes Públicos utilizaram a máquina pública para se defender, dos desvios de recursos públicos federais, isso sem falar da roubalheira que tomou conta de certos órgãos públicos municipais.

    Aliás esta história é um pouco antiga, ao que parece continuou a ocorrer. Parece que a dupla FO-FO fingiu que não aconteceu nada, em suma não tomaram as devidas providências necessárias em tempo hábil.

    Quem sabe o Pref. Fortunati tome as devidas providências imediatas ou estão esperando que a Polícia Federal dê um basta a esta roubalheira.

    Esse Sr. Mauro quando sentiu que a sua situação ficaria delicada, procurou abandonar o Cargo de Secretário do Mun. POA para se beneficiar de foro privilegiado, isso tudo com a complacência do Pref. Fogaça e do atual Fortunati, que não nada fez.

    Deve o Sr. Pref. Fortunati estar muito preocupado com as alterações do Plano Diretor que foram realizadas recentemente pelos Vereadores da Imobiliária instalada na Câmara Municipal de Porto Alegre.

    Infelizmente este é o Governo do PDT e de seus Aliados.

    Espero que o PT analise friamente esta coligação para o pleito da Prefeitura Municipal de Porto Alegre em 2012.

  10. #10 Henrique Heinz
    on Dec 7th, 2010 at 7:10 pm

    Aiaiaiaia…
    Onde tem fumaça tem fogo!!!
    Cadê a moral de Juliana Brizola? Em Santa Maria ela ajudou alguns oportunistas darem um golpe na democracia do PDT foi um verdadeiro estelionato no partido.
    Também acusou certo deputado do PT de mensaleiro, sabemos que este foi inocentado em todas as investigações. No entanto mesmo sendo inocente ele foi acusado por Juliana – E agora Juliana!!! Se for absolvida desta investigação será que vocês realmente são inocentes? Eu tenho minhas duvidas!
    Agora Brizola se mexeu na sepultura mesmo!

  11. #11 Sobradinho
    on Dec 8th, 2010 at 9:14 am

    Lendo a matéria de hoje no Correio do Povo 08.12.10, em que os Vereadores e os responsáveis pelo Paço Municipal, entendem que uma CPI neste momento iria desgastar a Câmara de Vereadores de Porto Alegre e a imagem do atual Pref. Fortunati, ora convenhamos, como podem Agentes Públicos que representam o cidadão no exercício da função pública entenderem que não caiba uma CPI neste momento, as investigações são necessárias, doa a quem doer.

    A quem interessa que não se investigue os desvios de recursos públicos federais no âmbito da Pref. Municipal de Porto Alegre. Ao não se tomar as devidas providências através de uma CPI estariam os Vereadores e o atual Pref. Fortunati envolvidos também, nos desvios de recursos públicos federais, não dá para se pensar de forma diferente.

    Mas vai um recado para essa turma de Vereadores que representam o atual Prefeito e seus Aliados – esses que compõem o ramo imobiliário -, que por mais que não queiram tomar as providências para as investigações, que o cidadão tem a seu favor instituições muito sérias, que é a Polícia Federal, o Min. Público Federal, Min. Estadual, Tribunal de Contas da União que não deixarão que essas irregularidades continuem a prosperar.

    A questão da atual gestão da dupla FO-FO tem que ser tratada na forma da legislação vigente, com forte atuação da Polícia Federal.

    A relação da Pref. Mun.. POA com o cidadão que paga impostos, está mais voltada não para o mesmo, e sim para um caso de Polícia.

    Há quem aposte que tudo isso não vai dar em nada, enganam-se, o desgaste será maior ainda com a omissão e atuação da Polícia Federal.

    Questão de tempo, o cidadão que paga impostos está no aguardo das investigações Sr. Prefeito Fortunati.

Deixe um comentário